9 de dezembro de 2015

R. K. HARRISON - O Retomo e a Restauração

retorno-exilio-persia-danilo-moraes
O Retomo e a Restauração 


CRONOLOGIA DESTE CAPITULO 

Nabucodonosor II ............................  605-562 a.C

Nabonido .............................................. 556-539 a.C

O Período Persa ................................... 539-331 a.C

A GRANDE RIQUEZA E PROSPERIDADE DO NOVO IMPÉRIO BABILÓNICO continuou durante todo o reinado de Nabucodonosor II. A sua orgulhosa osrentaçao, como registrado em Daniel 4.30, estava certamente em conformidade com seus ambiciosos projetos de construção. Seus interesses também se estenderam para as velhas cidades sumérias, e em Ur, restaurou o vasto complexo do templo de Nanna, remodelando-o e elevando o nível do pátio externo. Essa obra parece ter sido empreendida no espírito da reforma religiosa, que coloca o relato da adoraçào da imagem, registrada em Daniel 3.1 e versículos seguintes, em uma nova perspectiva. Woolíev descobriu que as câmaras que as “hierodules" sagradas e as sacerdotisas haviam ocupado nas proximidades do santuário, foram completa­mente removidas durante a restauração. Um espaço havia sido desocupado em frente ao santuário, e um altar foi ali colocado, proporcionando plena visào aos adoradores, desse modo poderiam observar o sacerdote enquanto ele fazia suas ofertas em público, sobre o altar. 

Gerard Van Groningen: Conceito Messiânico 1 - Alguns Salmos

gerard-van-groningen-jesus-messias
Elaboração Poética do Conceito Messiânico -1 


Tendo discutido a vida de Davi e o pacto de Yahwéh com ele (capítulos 9 e 10), examinaremos agora o livro dos Salmos, cuja origem está no ambiente da monarquia,[1] e dos quais quase a metade, setenta e três,[2] são atribuídos a Davi.[3] Em nossa exposição ficará claro que alguns salmos são mais messiânicos do que outros. Dada a grande quantidade de material bíblico, discutiremos primeiramente os salmos 2-45 (cap. 11), e a seguir os salmos 68-129 (cap. 12). 

O Caráter da Revelação Poética 

Os que sustentam que o livro dos Salmos é a primeira parte escrita do Velho Testamento consideram que os textos refletem os estágios iniciais da consciên­cia religiosa de Israel, o começo de suas atividades cúlticas e os mais antigos esforços de expressar o conteúdo de suas crenças. Assim, os Salmos seriam os primeiros materiais bíblicos a serem produzidos, seguidos pelos livros históricos, os quais, por sua vez, levaram às profecias, e finalmente à formulação dos códigos de leis.[4]